Entrar

Exclusivo para Sócios FGCT

Marcos Olsen participa da Copa Brasil no Socapesca

Cinco Olimpíadas, oito Pan-Americanos, onde conquistou uma medalha de prata e três de bronze, resumem bem o currículo do catarinense Marcos Olsen, um dos atiradores mais renomados no Brasil, ainda em plena atividade e participando das principais provas do país.

Presente na III Etapa da Copa Brasil no clube socapesca, em Viamão, Olsen elogiou a prova em solo gaúcho e comentou as principais dificuldades para o crescimento do esporte.

1 - Como começou a praticar?

Sou natural de Marcílio dias, uma pequena cidade catarinense. Vim de uma família de caçadores e desde cedo comecei a frequentar o clube em Curitiba. Em uma ocasião me deixaram participar de uma prova e venci a disputa, conquistando minha primeira medalha com 13 anos.

2 - Você se considera um talento nato?

Podemos dizer que sim, mas precisamos treinar e aperfeiçoar este dom o máximo possível. Atiro fazem mais de 50 anos e estou sempre aprendendo.

3 - O senhor encontra-se em plena atividade esportiva?

Nosso esporte pode ser praticado por qualquer idade. Por exemplo, se eu tivesse escolhido Corrida de 100m, já teria parado há 50 anos. Este ano participei do mundial na França, com outros 1.200 atiradores e mais de duas dezenas de atiradores na fila de espera.

4 - Relembre um momento inesquecível?

O principal são as amizades, os companheiros de tiro são grande irmãos que ganhamos nesta vida. Entre tantas histórias, não posso deixar de citar os jogos Pan-Americanos de Caracas, na Venezuela, em 1983, quando eu bati o recorde mundial, acertando 199 pratos em 200. Porém, naquele mesmo evento outro atirador acertou 200 pratos e quebrou novamente o recorde.

5 - O que é preciso para nosso esporte crescer?

Primeiro é divulgação, precisamos mudar a legislação e diminuir a burocracia. Tenho um grande amigo que resolveu atirar, fez a documentação e esperou seis meses pela sua guia de licença, então comprou um taco e foi jogar golf. Em segundo lugar o custo do equipamento e da munição. Aqui no Brasil, apesar de termos um poder aquisitivo bem menor que os norte-americanos, um cartucho custa três vez mais do que nos Estados Unidos.

6 - O que achou da prova aqui no Socapesca ?

A prova foi muito bem organizada pelo clube local e a Federação. A modalidade Sporting (Percurso de Caça) é a que mais cresce no mundo. Temos aqui no sul ótimos atiradores, que vão muito bem em competições internacionais, levado-se em conta o nosso nível de treinamento aqui no Brasil, onde atiramos um número de pratos muito menor do que nos países de ponta, onde inclusive alguns atiradores profissionais vivem razoalvelmente bem praticando o esporte.

Fique informado

Cadastre-se e receba as últimas novidades da FGCT


Receber em HTML?

Visitantes

227065
HojeHoje2126
SemanaSemana3649
MêsMês22289
Seu IP: 107.21.16.70

Federação Gaúcha de Caça e Tiro © Copyright | Todos os direitos reservados